Será que meu filho precisa de palivizumabe

Tempo de leitura: 5 minutos

A injeção de palivizumabe é usada para ajudar a prevenir o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) em crianças com menos de 24 meses de idade que apresentam alto risco de contraí-lo.

O VSR é um vírus respiratório comum que geralmente causa sintomas semelhantes aos da gripe e resfriado. A maioria das pessoas se recuperam em cerca de uma ou duas semanas, porém, pode ser perigoso, principalmente as crianças.

No artigo de hoje, você vai saber mais sobre a injeção de palivizumabe, para o que ela serve e quais são os riscos do VSR.

palivizumabe

O que é o palivizumabe?

Palivizumabe, também conhecido pelo nome comercial “Synagis”, é um medicamento feito de anticorpos monoclonais que atua ajudando o sistema imunológico a desacelerar ou interromper a propagação do vírus VSR no corpo humano.

Qual é a gravidade do vírus VSR?

A infecção por VSR pode causar problemas sérios que afetam os pulmões, como pneumonia e bronquite, e em casos graves pode até causar a morte. 

Esses problemas são mais prováveis ​​de ocorrer em bebês e crianças menores de 6 meses de idade com doença pulmonar crônica e problemas respiratórios.

Aqueles com maior risco de doença grave por VSR incluem:

  • Bebês prematuros;
  • Bebês muito pequenos, especialmente aqueles com 6 meses ou menos;
  • Crianças menores de 2 anos com doença pulmonar crônica ou cardiopatia congênita (presente desde o nascimento);
  • Crianças com sistema imunológico enfraquecido;
  • Crianças com distúrbios neuromusculares, incluindo aquelas que têm dificuldade para engolir ou limpar as secreções de muco.

Quais são os sintomas da infecção pelo vírus VSR?

A infecção por VSR pode causar sintomas semelhantes aos de um resfriado, incluindo tosse e coriza, que geralmente duram de 1 a 2 semanas.

Procure um médico especialista em casos da criança ter alguns dos sintomas abaixo:

  • Assobio agudo ou assobio quando respiram;
  • Estar incomumente quieto e cansado;
  • Uma tosse com muco amarelo, verde ou cinza;
  • Dificuldade para respirar ou pausas em suas respirações;
  • Recusar-se a amamentar;
  • Sinais de desidratação: falta de lágrimas ao chorar, pouca ou nenhuma urina na fralda por 6 horas e pele fria e seca;
  • Se o seu bebê está muito cansado, respira rapidamente ou tem uma coloração azulada nos lábios ou nas unhas, procure por um pronto-socorro imediatamente.

Leia também: Bebê chiador: isto é asma ou bronquite?

Como é feito o diagnóstico do vírus VSR?

Para diagnosticar o VSR, o médico do seu filho provavelmente vai olhar o histórico médico e fazer exames clínicos, incluindo ouvir seus pulmões.

O médico pode fazer alguns testes se o seu filho estiver muito doente ou para descartar outros problemas, como:

  • Exames de sangue e urina para procurar uma infecção bacteriana e certificar-se de que seu filho não está desidratado
  • Radiografias de tórax para procurar sinais de pneumonia
  • Testes de material raspado do nariz, da mesma forma que se faz com o coronavírus.

Como prevenir o VSR?

As etapas que você pode seguir para tentar evitar e prevenir a VSR são muito semelhantes àquelas usadas para prevenir a COVID e incluem:

  • Usar máscara se tiver sintomas de resfriado.
  • Limpe e desinfete as superfícies duras.
  • Não deixe ninguém fumar perto do seu bebê.
  • Mantenha seu bebê longe das multidões.
  • Peça às pessoas que lavem as mãos antes de tocarem em seu bebê.
  • Lave as mãos com frequência, especialmente após contato com alguém que tenha sintomas de resfriado.

Como saber se meu filho precisa de palivizumabe?

Crianças com alto risco de contrair o vírus VSR precisam tomar palivizumabe e são aquelas que nasceram prematuramente ou já possuem diagnóstico de doenças cardíacas ou pulmonares, como citado anteriormente.

Como o medicamento é aplicado?

O Ministério da Saúde (MS) disponibiliza gratuitamente para prematuros nascidos até 28 semanas de idade gestacional, a injeção de palivizumabe, que é um líquido injetado nos músculos da coxa por um médico ou enfermeiro. 

Na maioria dos casos, o medicamento é aplicado nos 2 primeiros anos de vida em injeções mensais durante 5 meses no período em que o vírus é mais prevalente. Em Minas Gerais este período vai de Março a Julho. Somente um médico pode avaliar o caso do seu filho para dizer se ele precisará da injeção e quando deve ser administrado.

Se o seu filho for submetido a cirurgia para certos tipos de doença cardíaca, seu médico pode precisar dar ao seu filho uma dose adicional de injeção de palivizumabe logo após a cirurgia, mesmo que tenha se passado menos de 1 mês desde a última dose.

Quais são os efeitos colaterais?

O uso de palivizumabe raramente causa efeitos colaterais, que incluem:

  • Dor de garganta
  • Nariz escorrendo
  • Vermelhidão ou irritação no local da injeção
  • Vômito
  • Diarréia

Alguns efeitos colaterais mais sérios e mais raros incluem:

  • Erupção cutânea severa
  • Coceira
  • Urticária
  • Dificuldade ao respirar

Concluindo

O seu filho ainda pode ter o Vírus Sincicial Respiratório mesmo depois de receber uma dose da injeção de palivizumabe. Por isso, é necessário que você converse com o médico do seu filho para saber sobre os sintomas que podem ocorrer na criança.

Se a criança já possui infecção por VSR, ela deve continuar recebendo injeções de palivizumabe programadas para ajudar a prevenir novas infecções pelo mesmo vírus.

Médicos especialistas em pneumologia pediátrica ou em neonatologia são os mais indicados para diagnosticar e dar as orientações corretas em relação à infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório, inclusive a aplicação de Palivizumabe.

Acesse o site da Pulmolab, nosso corpo clínico possui médicos especialistas em Pneumologia/Alergia Pediátrica que podem diagnosticar a  causa dos sintomas da criança e indicar como pode ser feito o tratamento de forma correta.

Se você gostou deste conteúdo, continue acompanhando as novidades do nosso blog, não deixe de acompanhar e siga nosso Instagram e Facebook, para ter acesso a outros conteúdos que podem ajudar você a cuidar da saúde da criança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *