Avanços no tratamento da alergia alimentar

Tempo de leitura: 3 minutos

O tratamento da alergia alimentar representa um avanço na vida de pessoas que sofrem de privações devido à doença. No centro desse cenário está o medicamento Palforzia, o primeiro que age diretamente no tratamento do problema.

35% da população brasileira é acometida por alguma alergia, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS); e uma das alergias mais comuns são as reações alimentares, segundo o Ministério da Saúde. 

Muito comum na infância, esse problema se manifesta sobretudo nos primeiros anos de vida. Quando não tratado, ele leva a precariedade no bem estar e saúde do pequeno e também pode se estender por toda sua vida a adulta.

Dentre os alimentos que mais provocam alergia no Brasil estão as proteínas do leite de vaca e do ovo. Amendoim, soja, trigo, peixe e frutos do mar veem logo em seguida. A alergia alimentar pode desencadear reações como coceira, inchaço, hipersensibilidade, vômitos, diarreias e até choque anafilático.

A Palforzia, portanto, surge como uma possível solução no tratamento da alergia alimentar. Você a conhece?

tratamento da alergia alimentar

Conheça o medicamento Palforzia, indicado para o tratamento da alergia a amendoim

Primeiro medicamento autorizado para uso da prevenção da alergia alimentar, a Palforzia é uma vacina de uso oral desenvolvida em cápsulas – cada uma composta por farinha de amendoim, em pequena quantidade.

A Palforzia, desenvolvida pela Aimmune Therapeutic, teve seu uso aprovado por um conselho da FDA (entidade norte-americana correspondente à Anvisa). Trata-se do primeiro medicamento para tratar alergia alimentar. Antes dele, se conhecia somente os sintomáticos como os anti-histamínicos – popularmente usados para tratar as alergias.

Esse novo medicamento, por outro lado, é uma imunoterapia que leva o organismo a se adaptar aos componentes do amendoim. Para isso, suas doses devem ser administradas de modo gradual e prolongado

O processo de aprovação do novo tratamento da alergia alimentar

O objetivo do tratamento é diminuir as reações alérgicas que o amendoim e derivados possam desencadear. Ele é indicado para crianças de 4 a 17 anos.

No entanto, para chegar ao mercado, ele enfrentou diversos processos de aprovação pelos órgãos competentes. Antes de ser liberado pela FDA, a nova droga foi testada em grupos de pacientes alérgicos ao amendoim e, então, analisada clinicamente por comitês consultivos independentes

O resultado de um estudo com um grande número de pacientes entre 4 a 55 anos mostrou que uma grande porcentagem dos indivíduos testados, desenvolveram tolerância imune.

A Palforzia é uma cura?

Apesar dos resultados satisfatórios dos testes não se pode afirmar isso. 

As doses toleradas de amendoim foram pequenas, se considerarmos o que é ingerido numa alimentação normal. 

Além disso, como qualquer droga, a Palforzia causa efeitos colaterais. Dentre eles estão a anafilaxia (reação alérgica sistêmica) e a esofagite eosinofílica (inflamações no esôfago).

Por hora, a Palforzia ainda é autorizada somente nos Estados Unidos, mas, no Brasil, já podemos ter uma luz sobre um tratamento promissor, mediante o diagnóstico correto de alergia alimentar. 

Os avanços no tratamento da alergia alimentar continuam a acontecer, infelizmente não na mesma velocidade em que avançam as alergias alimentares. Por outro lado, existem cuidados que toda família pode colocar em prática, caso tenha uma criança com hipersensibilidade a determinado alimento.

O portal Pulmolab sempre traz novas notícias para que você se mantenha atualizado. Acompanhe o blog e as redes sociais, Facebook e Instagram, para não perder nenhuma novidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *