3 coisas que você precisa saber sobre asma infantil

Tempo de leitura: 5 minutos

Doenças respiratórias são muito comuns na infância, pois o sistema respiratório é mais sensível nessa fase da vida e ainda precisa de amadurecimento. Não por acaso, a asma infantil é um quadro recorrente que merece atenção por parte das famílias.

Certas reações do seu filho em locais específicos ou em contato com determinados objetos podem indicar a presença de alergias que, em maior ou menor grau, têm como principais sintomas a dificuldade de respirar, tosses e espirros.

No entanto, as alterações na respiração também podem ser indicativas do processo inflamatório que caracteriza a asma. A doença afeta entre 10% e 20% da população, embora haja manifestações diferentes entre os casos.

É de suma importância identificar a presença da condição e buscar as devidas soluções para assegurar a qualidade de vida da criança asmática. Para ficar por dentro de informações relevantes sobre o assunto, te convidamos para leitura deste artigo.

O que é asma?

A asma é uma inflamação pulmonar que afeta os brônquios, podendo ser ocasionada por alergias ou não. Popularmente, se diz que ocorre uma irritação das vias aéreas que leva à tosse, ao chiado e à falta de ar.

Na criança a asma é mais comum porque as vias respiratórias têm um calibre menor que o dos adultos. De forma geral, a asma infantil se inicia nos primeiros anos de vida, mas pode ser confundida com outros problemas causados por vírus respiratórios. 

Os sintomas da asma infantil são equivalentes aos dos adultos, entre eles os principais são: tosse, chiado no peito e falta de ar.

As causas da doença não são exatamente definidas, uma das hipóteses está relacionada à hereditariedade. Existe a possibilidade de um dos genitores ou ambos possuírem a condição e esta ser transmitida ao filho por meio dos genes, ocasionando a asma em crianças.

Outro fator potencial é a exposição da criança a vírus que comprometem o sistema respiratório. 

Além destes, podemos citar outros elementos alérgenos, como pólen, poeira e ácaros.

É possível conviver com a asma infantil de forma segura?

Uma das grandes preocupações das famílias em relação ao diagnóstico de uma doença respiratória em crianças, como a asma, é o bem-estar do pequeno. Ainda que o problema provoque desconfortos e situações angustiantes, é possível tomar medidas para que a criança conviva com a patologia sem maiores incômodos.

De fato, a asma pode ocasionar idas ao pronto-socorro com certa frequência, provocando internações e perda da qualidade de vida. Mas, uma vez controlada, pode trazer de volta a tranquilidade e uma vida saudável para o seu filho, sem necessidade de restrições. 

Ao perceber seu filho nesta situação, procure um médico pneumologista ou alergista, relate o caso, siga as recomendações e dê a ele os medicamentos que o especialista receitar. 

Com os cuidados necessários, o pequeno conseguirá conviver com a asma de forma segura, podendo desempenhar as atividades comuns a qualquer criança.

Como controlar a asma infantil?

Antes de tudo, vale reforçar que as causas da asma infantil são várias, quer dizer, sem uma avaliação, não se sabe ao certo a origem do problema. Isso dependerá de cada pessoa, de cada caso.

Geralmente, uma pessoa asmática sofre crises quando exposta a elementos transportados pelo ar, como ácaros, poeira, poluição, mofo, pelos de animais, fumaça de cigarro e partículas de insetos

Para manter uma criança livre das crises e ocorrências de asma, a primeira atitude é manter o olhar atento ao seu dia a dia. Três pontos são de fundamental importância nessa observação: 

  1. Evitar a causa do problema; 
  2. Utilizar os medicamentos receitados pelo médico; 
  3. Vacinas de alergia podem ser indicadas em situações especiais.

Na prática, você deve observar os ambientes que ele frequenta, assim como a casa e o quarto em que dorme. No caso de alergia a ácaros é recomendado evitar tapetes, cortinas, bichos de pelúcia, e priorizar materiais antialérgicos em roupas de cama e brinquedos.

Observe também se o sol entra no ambiente e limpe frequentemente o quarto, inclusive o colchão. Todo esse cuidado vai fazer com que as crises de asma infantil diminuam, aconteçam de forma mais leve ou, ainda, com espaçamento maior entre uma crise e outra.

Também são causadores de crises materiais como tintas, desinfetantes e produtos de limpeza. Além disso, o quadro asmático pode acontecer somente durante a noite, principalmente durante o sono, o que se configura como asma noturna.

Mesmo um resfriado ou uma gripe podem levar a crises de chieira. Se o seu filho tem asma, seja durante o dia ou somente no período noturno, procure ajuda médica. O médico especialista avaliará as causas da crise de asma infantil no seu filho e buscará o tratamento mais adequado para ele.

A abordagem terapêutica adequada para seu filho depende da idade da criança, dos sintomas que ela apresenta, de qual é a fonte da crise e, por fim, o tipo de medicamento que pode funcionar melhor.

O tratamento se dá por meio de medicamentos contínuos de uso preventivo, a fim de evitar exacerbações dos sintomas. Os tipos de remédios mais comuns são corticóides inalatórios e medicamentos orais, combinados ou não com outras medicações.

Agora que você já leu sobre as causas da asma infantil e como pode viver uma criança asmática, continue conosco e confira mais conteúdos informativos como este!

Acesse o nosso site e fique por dentro das principais questões de pneumologia pediátrica para seu filho. Temos diversos artigos, vídeos e dicas. Confira nossas redes sociais:  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.