Controle ambiental: alergia ao mofo

Tempo de leitura: 5 minutos

Alergia ao mofo é causada por esses microorganismos facilmente encontrados na natureza. Quando na forma de bolor, como nas paredes da casas, são chamados de mofo. Eles gostam de escuro, ambientes úmidos, quentes e precisam basicamente de quatro coisas para sobreviver e desenvolver: material orgânico em decomposição (alimentos, plantas e animais), ar, ambiente quente e água. Para se reproduzirem os fungos liberam grande quantidade de esporos no ar, como os polens das plantas. Quando estes esporos decantam em material orgânico, novos fungos se desenvolvem. Os fungos podem ser encontrados em residências, edifícios velhos e, principalmente, no ar que respiramos.

Todo mundo respira esporos de fungos no ar, mas algumas pessoas apresentam
reações alérgicas se expostas a eles. Se você é alérgico a fungo (mofo), o seu sistema imunológico é excessivamente sensível aos esporos destes fungos.

Quando você inala o fungo, o sistema imunológico pode desencadear sintomas como espirros, coceira, lacrimejamento, coriza, congestão nasal, tosse e chieira.

Existem centenas de tipos de fungos, mas nem todos eles são responsáveis por causar sintomas alérgicos. Os fungos que mais frequentemente causam alergia incluem Alternaria, Aspergillus, Cladosporium e Penicillium.

Sintomas

Muitas pessoas alérgicas a fungos desenvolvem sintomas ao ar livre, pricipalmente nos dias em que seus esporos estão no ar em grande quantidade.

Em países de clima tropical como o Brasil isto pode ocorrer o ano todo. Altas concentrações de fungos no ar são mais frequentes no outono ou após uma tempestade. No entanto, o fungo Alternaria predomina nos meses mais secos. O fungo Aspergilus é muito frequente nos arredores de construções. Você também pode ter sintomas na sua casa, escola ou local de trabalho. Os principais sintomas causados pela alergia a mofo são:

  • Nasais ( coceira, espirros, fungueira, obstrução e coriza)
  • Oculares ( vermelhidão, lacrimejamento e coceira) que pode confundir
    c/ conjuntivite
  • Pulmonares: alergia a mofo pode também desencadear os sintomas da
    asma, como tosse, chieira e falta de ar.

Diagnóstico

Os sintomas da alergia a mofo são muito semelhantes aos de outras alergias como poeira e pelos de animais. Infecções respiratórias, principalmente aquelas causadas por vírus, também apresentam-se com sintomas semelhantes a alergia. Um alergista pode diagnosticar se o mofo é o responsável por seus sintomas. Testes alérgicos aplicados na pele dão resultados precisos em apenas alguns minutos. Outros exames complementares podem ser necessários.

Tratamento e Manejo

Se você tem alergia a mofo, evitá-lo é a melhor maneira de controlar os seus
sintomas. A seguir,algumas dicas para evitar mofo e fungos do ar:

  • Evite ambientes ao ar livre com grande possibilidade de conter
    alta concentração de fungos como plantações, folhas secas e
    construções.
  • Tome um banho ao chegar em casa. Isso vai lavar os esporos de
    fungos contidos em seu cabelo evitando que eles te incomodem
    à noite.
  • Elimine as infiltrações. Isto diminuirá a possibilidade de mofo na
    sua casa.
  • Em situações especiais pode-se reduzir a umidade da casa com
    desumidificadores. Umidade interna abaixo de 60% dificulta o
    crescimento de fungos.
  • Vaporizadores devem ser evitados. Além de conter fungos em
    seu reservatório, favorecem o seu crescimento aumentando a
    umidade do ambiente.
  • Atenção para lugares onde o mofo pode passar desapercebido
    como debaixo de carpetes, atrás de armários, latas de lixo, ar
    condicionado, travesseiros, máquinas de lavar, geladeiras,
    porões, lavanderias e embaixo de tanques.
  • Os quartos daqueles alérgicos a mofo devem ser, de preferência,
    os mais ensolarados, ventilados e secos. Evitar o excesso de
    plantas dentro de casa.
  • Nos lugares mofados, aplique solução preparada com 50
    gramas de ácido fênico dissolvido em 1 litro de água (facilmente
    encontrada em farmácias de manipulação). Pode também ser
    usada solução de Lysoform ou de hipoclorito de sódio.

Além de controlar os sintomas evitando os fungos, pode ser necessário o uso de anti-alérgicos, colírios ou spray nasal. Seu alergista é a melhor pessoa para determinar o tratamento mais adequado para você.

Vacina de alergia é uma forma de tratamento que proporciona alívio dos sinto-
mas a longo prazo. É frequentemente utilizada pelo alergista e o tempo de trata-
mento dura, em média, 3 anos. No entanto, a qualidade dos extratos utilizados nas vacinas de mofo, em nosso meio, ainda deixa a desejar. São geralmente impuros, sem controle de qualidade, pouco potentes e pouco eficazes. Por isso, em nosso serviço optamos por não administrar vacinas contra fungos do ar até que se obtenha um material de boa qualidade.

Se seu filho apresentar sintoma alérgico procure por um especialista em Alergia. Ele ou ela pode diagnosticar o problema e aconselhá-lo da melhor forma.

Acesse o site da Pulmolab, nosso corpo clínico possui médicos especialistas em Pneumologia/Alergia Pediátrica que podem diagnosticar a causa dos sintomas da criança e indicar como pode ser feito o tratamento de forma correta.  

Se você gostou deste conteúdo, continue acompanhando as novidades do nosso site e blog, não deixe de acompanhar e siga nosso canal no YouTubeInstagram e Facebook, para ter acesso a outros conteúdos que podem ajudar você a cuidar da saúde da criança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.