COVID 19: Quais os riscos para quem está completamente vacinado

Tempo de leitura: 6 minutos

Segue 6 sugestões para aqueles que já tomaram as duas doses contra a Covid-19.

1. Como as pessoas deveriam pensar de forma diferente sobre o risco

Precisamos pensar na vacina como uma capa de chuva muito boa. Se estiver garoando
lá fora – se o nível de infecção não for muito alto na sua comunidade – as vacinas protegerão muito bem. Mas se for uma tempestade constante, então há uma chance maior de se molhar. Uma pessoa vacinada corre maior risco quando cercada por muitas pessoas que podem estar infectadas com Covid-19, e é isso que está ocorrendo em vários países. Em segundo lugar, estamos entrando em uma fase da pandemia em que quase todas as atividades terão algum nível de risco. As pessoas precisam decidir por si mesmas
com que risco se sentem confortáveis, considerando as circunstâncias médicas de sua família e o valor da atividade para elas.
Se todos em sua casa estiverem totalmente vacinados e saudáveis, você pode estar disposto a correr mais riscos. Você pode concluir que, mesmo se uma infecção emergente acontecer, provavelmente será leve, e você se sente bem em assumir esse risco para continuar suas atividades pré-pandêmicas. Outra pessoa pode decidir que, por morarem em casa com crianças menores não vacinadas ou familiares
imunocomprometidos, desejam ser mais cautelosos.
Acho que as duas opções são igualmente razoáveis. A grande maioria da propagação de Covid-19 é por pessoas que não foram vacinadas. As pessoas vacinadas não são uma ameaça à saúde pública e devem ser capazes de exercer seu próprio julgamento sobre quais atividades são seguras o suficiente para elas.

2. Qual é o risco de jantar em um ambiente fechado?

Jantar dentro de um restaurante definitivamente tem mais risco do que jantar ao ar livre. Qual é esse risco? Depende de vários fatores. Para começar, qual é a configuração do espaço no restaurante? Um ambiente muito lotado e mal ventilado terá maior risco do que um local ventilado em que você poderia ficar mais afastado de outros clientes.
Além disso, com quem você está jantando? Se todos em seu grupo estiverem totalmente vacinados, e essas forem as únicas pessoas que estarão perto de você, esse é um cenário mais seguro do que se os membros de seu próprio grupo não forem
vacinados. Eu também observaria a taxa de transmissão do vírus em sua comunidade.
Quanto menor a taxa, potencialmente mais seguro.

3. Que tal ir à academia ou viajar?

Novamente, isso depende das circunstâncias. Se você estiver usando aparelhos elípticos ou de musculação e ninguém estiver perto de você, então é bastante seguro.
Se você está participando de aulas de ginástica ao ar livre, o risco também é baixo. Mas se você vai, digamos, uma aula de exercícios de alta intensidade em que muitas pessoas estão respirando pesadamente, perto umas das outras, e você não sabe se elas estão vacinadas, o risco é substancialmente maior.
O risco de viagens aéreas é muito baixo e pode ser reduzido ainda mais se você estiver usando uma máscara de alta qualidade como um N95 ou KN95. A maior preocupação é o que acontece quando você chega ao seu destino. Veja meu post sobre viagem de avião.

4. Que tal uma reunião privada com amigos onde todos são vacinados?

Isso certamente será um risco muito menor do que se as mesmas pessoas estivessem juntas, mas não foram vacinadas. Um estudo do CDC esta semana descobriu que aqueles que não foram vacinados têm cinco vezes mais chances de receber Covid-19 do que os vacinados (e uma probabilidade 29 vezes maior de serem hospitalizados ou morrer de coronavírus). Muitas pessoas vacinadas se sentiriam confortáveis com o nível de risco dessa situação. Novamente, não é zero, mas é bastante baixo. Isso é particularmente
verdadeiro se as outras pessoas na reunião têm um nível de tolerância ao risco semelhante ao seu e não estão se engajando em atividades de alto risco – por exemplo, se elas sempre usam máscaras quando em espaços públicos internos e se evitam o risco mais alto exposições como bares e restaurantes lotados.

5. Vale a pena socializar com grupos de baixo risco?

Existem muitas pessoas que realmente desejam minimizar a chance de ter uma infecção invasiva. Isso inclui indivíduos com condições médicas, nas quais uma infecção séria que é leve para outra pessoa pode levá-los ao hospital. Outros podem ser bastante saudáveis, mas não querem ser portadores assintomáticos que podem transmitir Covid-19 a seus familiares vulneráveis. Pessoas em situações semelhantes,
que têm uma abordagem semelhante quando se trata de cautela em suas vidas, podem decidir formar um grupo umas com as outras. Eles poderiam decidir socializar apenas outros no mesmo grupo dentro de casa.
Uma família pode optar por ter contato com outra família que tem filhos pequenos não vacinados. Isso torna mais fácil o cuidado de crianças, a carona e os encontros para brincar. Eu também aconselharia outras pessoas a considerarem o nível de cautela de outras famílias antes de decidirem se reunir em casa com elas. Em caso de dúvida, reúna-se apenas ao ar livre.

6. Avós vacinados ainda podem se reunir com seus netos não vacinados?

Sim. Aconselho os avós preocupados com a transmissão do Covid-19 a seus netos não vacinados que podem optar por reduzir o próprio risco nos três a cinco dias anteriores a ver seus netos. Eles podem evitar encontros internos com outras pessoas durante esse período e, se quiserem ficar mais seguros, sugiro que façam o teste antes de ver seus netos.
Meu conselho é o mesmo ao contrário, para os netos, se os avós forem particularmente vulneráveis. Os netos podem sempre usar máscaras dentro de casa, perto de outras pessoas, nos três a cinco dias anteriores ao encontro e, em seguida, fazer o teste antes do reencontro.
Se tudo isso for demais, considere ver uns aos outros apenas ao ar livre. Ao ar livre permanece muito mais seguro do que dentro de casa. E, claro, se houver indivíduos com 12 anos ou mais que ainda não foram vacinados, eles devem fazê-lo o mais rápido possível, para protegê-los e a outras pessoas ao seu redor.

Se você gostou deste conteúdo, continue acompanhando as novidades do nosso blog. Não deixe de acompanhar nosso Instagram e Facebook, para ter acesso a outros conteúdos que podem ajudar você a cuidar da saúde da criança

Se precisar de ajuda médica, fale conosco na nossa página de contato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *