Distúrbios do sono em crianças: qual o papel dos pais

Tempo de leitura: 5 minutos

Os distúrbios do sono são comuns em crianças e adolescentes, podendo ocorrer até mesmo em bebês. Se não houver tratamento adequado, os distúrbios a longo prazo podem levar a uma série de problemas.

Além disso, a sonolência excessiva pode gerar em algumas pessoas, dificuldades acadêmicas, comportamentais, de desenvolvimento e outros problemas de saúde, como peso abaixo do normal.

No artigo de hoje, você vai saber mais sobre como esses distúrbios ocorrem em crianças e como uma boa noite de  sono é importante para a saúde delas.

Como esses distúrbios ocorrem nas crianças?

Um distúrbio de sono pode ocorrer em qualquer idade e é caracterizado por causar problemas relacionados ao sono e incluem dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo, cochilar em horários inadequados, apresentar sonolência diurna ou comportamentos anormais durante o sono.

As crianças que possuem até 3 meses de idade costumam dormir por períodos de 5 horas ou mais e, mais tarde, nos primeiros anos de vida, elas passam por períodos nos quais acordar a noite se torna mais frequente.

À medida que as crianças vão crescendo, se torna mais comum que elas tenham mais quantidade de sono REM sigla que significa Movimento Rápido dos Olhos. O sono REM ocorre nos primeiros 60 a 90 minutos de sono, onde a atividade do cérebro na hora de dormir é similar ao estado de vigília.

Existem muitos tipos de distúrbios do sono que podem afetar a infância, trazer problemas sociais e sintomas físicos como cansaço e dor de cabeça. A seguir, listamos alguns.

Pesadelos

Os pesadelos são sonhos que acontecem durante o sono REM, podendo bastante assustadores, onde a criança pode despertar completamente e se lembrar de detalhes do sono como se tivesse realmente vivido aquela situação.

É comum que os pesadelos ocorram com frequência após a criança assistir conteúdos que assustam na TV, por exemplo, ou se estiver passando por períodos de estresse.

Sonambulismo

Um distúrbio muito comum em crianças com idade escolar é o sonambulismo. A criança não se lembra de nada e nem responde a estímulos externos, desaparecendo com o tempo. Geralmente é benigno, sem a necessidade de tratamento.

Terror noturno

Embora raro, um tipo de distúrbio do sono que parece um pesadelo é o terror noturno. Abruptamente, enquanto dorme, a criança senta-se na cama, agitada, gritando, chorando e não responde a estímulos externos.

Distúrbio respiratórios do sono

Os distúrbios respiratórios do sono são caracterizados pela presença de episódios repetidos de obstrução completa ou parcial das vias aéreas superiores, podendo causar falta de ar.

Neste distúrbio, os tecidos moles da garganta colapsam e obstruem a passagem de ar durante um período de sono. Algumas doenças respiratórias como asma, bronquite crônica ou refluxo gastroesofágico facilitam essa síndrome. 

Saiba mais sobre doenças respiratórias em crianças

Rouquidão frequente, dificuldade para respirar à noite, sonolência durante o dia ou dificuldade em prestar atenção podem nos indicar um distúrbio  ligada a respiração. A retirada das amígdalas ou adenóides pode ser parte do tratamento.

Síndrome das pernas inquietas

Esta síndrome é caracterizada pela necessidade urgente de movimentar as pernas em situações de repouso, fato que, em muitos casos está  associado a uma sensação desagradável. 

É um distúrbio que tem grande impacto na qualidade de vida da criança e pode causar insônia e fadiga durante o dia . É um distúrbio cujas causas são desconhecidas, embora pareça haver uma predisposição familiar.

Insônia

A insônia é caracterizada pela dificuldade em iniciar o sono, ou seja, a sensação de falta de sono. A insônia é um dos problemas mais comuns em crianças e geralmente pode ser tratada e resolvida com o apoio de profissionais de saúde.

  • Insônia comportamental: a criança apresenta resistência e ansiedade antes de dormir, acordando com muita frequência.
  • Higiene de sono inadequada: Está relacionada às atividades realizadas durante o dia que impedem a adequada qualidade do sono à noite (consumo de chocolate ou cafeína; exercícios físicos vigorosos ou uso de computador, videogame ou telefone celular).

A insônia pode estar associada a cefaléia tensional, enquanto o excesso de sonolência também pode causar e agravar o problema.

Como é o diagnóstico e qual é o tratamento?

A maioria dos casos em que uma criança não dorme bem, podem estar atreladas a diversos fatores. Estes distúrbios podem ser diagnosticados e tratados corretamente.

Poderá ser pedido o exame de Polissonografia que consiste em monitorar a criança durante a noite, avaliando aspectos cardíacos (eletrocardiograma), neurológicos (eletroencefalograma), respiratórios (oximetria de pulso, capnografia e movimentos respiratórios de tórax e abdome) e motor (eletromiograma de pernas).

A partir disso, um médico especialista em doenças do sono pode analisar os exames e o paciente como um todo para indicar um tratamento que oferece benefícios significativos tanto para as crianças quanto para as famílias.

O papel dos pais é procurar ajuda médica e auxiliar no dia a dia do tratamento, após o especialista em doenças do sono estabelecer algumas expectativas em relação ao sono pediátrico considerado normal. 

Em alguns casos, planos de modificação de comportamento podem ajudar a resolver problemas de sono, onde os pais devem estar atentos e observando a evolução deste tipo de tratamento.

Acesse o site da Pulmolab, nosso corpo clínico possui médicos especialistas em Doenças do Sono, que podem diagnosticar a causa de sintomas do paciente pediátrico e indicar como pode ser feito o tratamento de forma correta.

Se você gostou deste conteúdo, continue acompanhando as novidades do nosso blog. Não deixe de acompanhar nosso Instagram e Facebook, para ter acesso a outros conteúdos que podem ajudar você a cuidar da saúde da criança

Se precisar de ajuda médica, fale conosco na nossa página de contato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *