Entenda sobre o exame de broncoscopia

Tempo de leitura: 5 minutos

A broncoscopia é um exame que permite aos médicos analisarem os pulmões e vias áreas de um paciente, geralmente sendo feito por um médico pneumologista.

Durante o procedimento, é usado um tubo fino, chamado de broncoscópio, onde o mesmo é passado pelo nariz ou boca, depois, pela garganta, atingindo a traquéia e os pulmões.

Mais comumente, o exame é realizado com broncoscópio flexível. Porém, em certas situações, se houver muito sangramento nos pulmões ou se um corpo estranho estiver preso nas vias respiratórias, é necessário um broncoscópio rígido.

No artigo de hoje, você vai entender para que serve o exame de broncoscopia, quais são os ricos e como é a recuperação do paciente.

broncoscopia

Para que serve o exame?

A broncoscopia geralmente é feita para ajudar no diagnóstico e descobrir a causa de um problema pulmonar e avaliar a eficácia do tratamento.

As razões para fazer broncoscopia incluem:

  • Diagnóstico de uma doença respiratória
  • Identificação de uma infecção pulmonar (pneumonia)
  • Biópsia de tecido do pulmão
  • Remoção de muco, corpo estranho ou outra obstrução nas vias aéreas, como um tumor por câncer de pulmão.
  • Tratamento de um problema pulmonar (broncoscopia intervencionista), como sangramento, estreitamento anormal das vias aéreas (estenose) ou pulmão colapsado (atelectasia)

Durante alguns procedimentos, dispositivos especiais podem ser passados ​​através do broncoscópio, como uma ferramenta para obter uma biópsia, uma sonda de eletrocautério para controlar o sangramento ou um laser para reduzir o tamanho de um tumor nas vias aéreas. 

Um tipo de técnica especial é o lavado broncoalveolar, que é necessário para coletar amostras das vias aéreas de pequenas dimensões e alvéolos que não podem ser vistos através do broncoscópio.

Quais problemas podem ter ajuda da broncoscopia?

O paciente ou os seus responsáveis devem estar atentos aos sintomas que possam indicar algum tipo de sinal de doenças respiratórias, como: dificuldade para respirar, tosse seca, fadiga e etc.

A seguir, separamos alguns problemas que podem precisar do procedimento:

Tipos de câncer de pulmão

Quando uma pessoa possui algum sinal de câncer de pulmão é necessário que este problema seja identificado com a ajuda de outros exames que trazem mais especificações sobre os tumores.

Geralmente, este tipo de acometimento é identificado através de tomografia computadorizada ou Raio X. É a broncoscopia que pode ajudar a analisar qual é o tipo de tumor e descobrir a gravidade do problema.

Através da biópsia colhida pelo exame, é possível saber se aumenta o risco de câncer no paciente e se o mesmo pode alastrar para outros órgãos.

Infecção dos pulmões

Quando existe a suspeita de infecção pulmonar o exame é necessário para coletar amostras de regiões pulmonares, sendo o material usado para identificar o tipo de infecção e ajudar no tratamento.

Quais são os riscos do exame?

O procedimento é completamente seguro para a maioria das pessoas, porém, como todos os procedimentos intervencionistas existem alguns riscos envolvidos.

Alguns dos riscos que o paciente e o médico podem enfrentar durante e após o exame, podem incluir:

  • As vias aéreas podem ter sangramento
  • Sentir falta de ar
  • Baixa saturação de oxigênio

Se após o exame o paciente possui sintomas como: febre, tosse com sangue e falta de ar, é necessária uma avaliação médica, pois pode indicar alguma complicação como a infecção.

Alguns outros riscos, porém raros, mas potencialmente fatais da broncoscopia incluem ataque cardíaco e colapso pulmonar. Um pulmão colapsado pode ser devido a um pneumotórax ou ao aumento da pressão no pulmão devido ao escape de ar para a pleura, membrana que reveste do pulmão. 

Este caso geralmente ocorre durante o procedimento com um broncoscópio rígido. Se o ar se acumular ao redor do pulmão durante o procedimento, o médico pode usar um tubo torácico para remover o ar coletado.

Como é a recuperação da broncoscopia?

O exame de broncoscopia é relativamente rápido, durando cerca de 10 a 15 minutos. Como o paciente será sedado, ele deverá descansar no hospital por algumas horas até se sentir mais acordado e o entorpecimento na garganta passar. 

A respiração e pressão arterial deverão ser monitoradas durante a recuperação, sendo que o paciente não conseguirá comer ou beber nada até que ele esteja livre dos sedativos, podendo levar de uma a duas horas. 

Depois do final do procedimento, a garganta do paciente poderá ficar dolorida ou áspera por alguns dias, mas geralmente não dura muito tempo e não precisa de acompanhamento médico, tratamentos ou medicamentos.

Conclusão

O médico pneumologista irá discutir com o paciente sobre os resultados da broncoscopia e usará os dados para decidir qual será o tratamento adequado para qualquer problema pulmonar detectado.

Caso uma biópsia seja feita durante a broncoscopia, ela precisará ser revisada por um patologista e alguns resultados demoram mais do que outros para ficarem prontos.

Para garantir que o diagnóstico correto seja dado, o especialista poderá solicitar outros testes, exames e procedimentos para ajudar no caso clínico.

E, agora, me conte: o que você achou deste artigo?

Se você se interessa por assuntos relacionados a este, acesse os sites: Pulmolab, Alergo Pneumoped e o nosso Blog.

Para receber novidades e saber mais sobre nós, siga-nos nas redes sociais Facebook e Instagram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *