Conjuntivite alérgica: sintomas e tratamento

Tempo de leitura: 3 minutos

A conjuntivite alérgica é uma inflamação das mucosas dos olhos causada por alergia. O quadro é, na verdade, uma reação exagerada do sistema imunológico ao contato com algum alérgeno.

Alérgenos são substâncias comuns presentes na nossa rotina, como:

  • Ácaros e poeira doméstica;
  • Esporos de fungos;
  • Baratas; 
  • Pelos de animais;

Quando em contato com alguns desses elementos, o sistema imunológico pode reagir, liberando substâncias que afetam a garganta, o nariz, os ouvidos, a pele e os dois olhos. 

A conjuntivite é, portanto, uma consequência de uma reação do organismo.

Há, também, outras causas possíveis, não alérgicas, como infecções virais e bacterianas. 

Em alguns períodos do ano, as crianças tendem a desenvolver mais esse e outros tipos de alergia. Mas, porque isso acontece?

Respondemos a essa e a outras perguntas no artigo a seguir!

conjuntivite alérgica

Como a conjuntivite alérgica se manifesta?

Os olhos vermelhos são a primeira manifestação. Acompanhado disso, surgem ardências, coceiras, sensação de que há alguma coisa nos olhos, secreção mucóide (ou olhos lacrimejando), fotofobia (incômodo com a claridade), dentre outros.

Os tipos de conjuntivite alérgica

Há três tipos:

1. Conjuntivite alérgica perene

Trata-se de uma manifestação crônica relacionada ao ambiente, quando este fica muito tempo fechado, acumulando poeira, ácaros e fungos. O paciente geralmente está em contato frequente, até diário, com o alérgeno.

2. Conjuntivite alérgica sazonal 

A alergia sazonal se dá especificamente na primavera e no verão, épocas em que o pólen das flores se dissipa no ar para reprodução.

O pólen é potencialmente alérgico, mas esse não é um problema tão comum no Brasil quanto em países do hemisfério norte.

3. Conjuntivite alérgica aguda 

A forma aguda da alergia, geralmente ocorre quando o paciente fica em contato com pelos de animais ou outros alérgenos que normalmente não está presente no seu dia a dia. Seu início é imediato, assim como a sua resolução, que se dá retirando o agente alergênico de perto da pessoa.

Crianças são mais suscetíveis a ter conjuntivite? 

É comum que crianças em idade escolar apresentem com muita frequência o quadro alérgico. 

Brincadeiras com os amiguinhos, passeios em parques e, principalmente, hábitos de higiene ainda não tão bem desenvolvidos são os grandes causadores do problema.

Não há motivo para pânico, porém, é importante levar a criança ao médico assim que identificados os sintomas. Isso porque a condição pode caminhar para um quadro grave que pode deixar sequelas na córnea da criança, prejudicando sua visão.

É necessário ressaltar que a conjuntivite alérgica NÃO é contagiosa. Por outro lado a conjuntivite viral é altamente contagiosa e podem acometer simultaneamente todos em casa, na escola e outras pessoas próximas.

Quais os tipos de tratamento?

O tratamento da conjuntivite penderá da avaliação médica. 

Em alguns casos, os especialistas podem ocorrer o uso de anti-histamínicos orais ou colírios imunossupressores da reação alérgica como esteróides (corticóides), mas fica o alerta: não use esses medicamentos sem a prescrição médica, sobretudo em crianças.

De modo geral, a terapêutica também vai depender de alguns cuidados pessoais, como:

  • Não esfregar os olhos, mesmo se a coceira for muito incômoda;
  • Reduzir a exposição do paciente ao alérgeno, seja poeira, fungos ou animais;
  • Compressas frias nos olhos
  • Reforçar os bons hábitos de higiene, como: sempre lavar as mãos e evitar levá-las ao rosto, manter a casa bem limpa, trocar com frequência as roupas de cama e as toalha de banho, dentre outras boas práticas.

Gostou dessas dicas?

Então, continue acompanhando o blog e as redes sociais, Facebook e Instagram, da Pulmolab!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.